SaibaMais-Estrutural

Projeto Estrutural Saudável e Sustentável

 

A partir do compromisso assumido pelo Brasil para o cumprimento da   Agenda 2030 e de seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)  e a iniciativa do Governo do Distrito Federal (GDF) de implementar a agenda e acompanhar os alcances dos ODS, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF), buscou parcerias para implantação do ODS 3 – Saúde e Bem-Estar “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades”. (Figura 1).

Por se tratar de um ODS que permeia todos os outros, as ações governamentais direcionadas à saúde e bem-estar são de extrema relevância para o êxito na implementação da Agenda 2030.

Em 2017 foi firmado entre a SES/DF e a Fiocruz Brasília um convênio que tem por objeto o desenvolvimento de estudos e pesquisas voltados para a qualificação e aperfeiçoamento de métodos para área de regulação, programação, gestão da informação, controle e avaliação do SUS no âmbito do Distrito Federal na perspectiva de promover o desenvolvimento saudável e sustentável no território.

O plano de trabalho do convênio previu em uma de suas metas, a realização de estudos / pesquisas para avaliação da implementação do Objetivo nº 3.

Em dezembro de 2017, foi elaborado um Projeto que conta com a parceria da Fiocruz – Brasília, a Universidade de Brasília – UnB e com o Instituto Federal de Brasília – IFB para atuação cooperativa na localidade denominada Cidade Estrutural/DF.

 

 

 

 

Figura 01 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

 

Porque iniciar o projeto na Cidade Estrutural

A Cidade Estrutural teve sua origem a partir de uma ocupação irregular e, atualmente, possui cerca de  . A região abrigava até o ano de 2017, um enorme depósito de resíduos, conhecido como “Lixão da Estrutural”, atualmente desativado no qual cerca de 4 mil pessoas atuavam na coleta dos resíduos do lixão.

Com a desativação, a região tem passado por mudanças dos condicionantes de vida e reúne características para uma análise do impacto das políticas públicas na comunidade local.

Alguns fatores definiram a escolha:

 

O desafio de promover saúde em um território de grande vulnerabilidade social da população local;

A combinação de interesses para a atuação de forma integrada com os parceiros, primeiramente a FIOCRUZ e a UNB, em seguida se agrega à parceria a Rede Social da Estrutural e o Instituto Federal de Brasília (IFB), a fim de potencializar a atuação de todos no território;

A possibilidade de executar ações e acompanhar indicadores relacionados a pelo menos seis ODS, além do ODS 3 (Figura 2).

 

 

Figura 2 – ODS relacionados ao ODS3

 

O projeto Estrutural Saudável e Sustentável tem o desafio de promover saúde em um território de grande vulnerabilidade social da população local. Reúne as condições necessárias para uma análise do impacto das Políticas Públicas na vida da população e em particular na Saúde, a partir da mudança dos condicionantes de vida do local. Assim, contribuirá para formulação e implementação de políticas de saúde e de saneamento básico, potencializando experiências sociais locais e o cumprimento dos ODS no contexto do Distrito Federal.

A parceria constituída com as instituições de ensino, pesquisa e extensão e comunidade da Cidade Estrutural, para a atuação de forma integrada, potencializarão a atuação de todos no território. O projeto visa a criação de uma rede colaborativa de parceiros envolvendo Governo, Academia e Comunidade para que o aprendizado possa ser replicado para outros locais do Distrito Federal.

  

O que se pretende com o Projeto

  • Ativar redes sociotécnicas para a implementação de uma abordagem de monitoramento e avaliação cooperativa de situações de risco e vulnerabilidade social e ambiental do Território, tendo a perspectiva de torná-lo Saudável e Sustentável, a partir da referência do novo processo de produção local e a Agenda 2030 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável;
  • Implantar métodos, tecnologias, parâmetros e indicadores para diagnósticos e mapeamento de situações de risco e vulnerabilidade social e ambiental local;
  • Delinear Sistema interativo de análise, monitoramento e avaliação dos Territórios com a participação dos cidadãos locais; (Figuras 3 e 4).
  • Realizar ativação de redes sociotécnicas dos atores locais para a mensuração dos determinantes de saúde em articulação com os ODS;
  • Pactuar metodologias para a capacitação dos atores locais para uso da inteligência cooperativa na governança interativa dos territórios.

 

 

Figura 03 – Produção de Informações do Projeto a partir do Território

 

 

 

Figura 04 – Interação das informações produzidas no Território com a Sala de Situação da SES/DF